Tempos de Colégio (15)

Acabo de chegar de meu passeio à Ilha do Governador (Rio de Janeiro/RJ). Descobri onde fica o Siri do Galeão e o Porcão. Só não achei mesmo os colegas do Mendes que iriam se reunir.

Consegui aprender que, entrando na Ilha, após passar sob o viaduto que vai para o Aeroporto estamos perto. Para os de uma geração mais antiga é o novo, para os mais jovens é o único existente. O antigo virou base da Aeronáutica.

Ao avistar um segundo viaduto é ficar atento, pois quando se passa sob ele o Siri está imediatamente à sua direita. Se você vier rápido demais vai passar direto e encontrar, do mesmo lado da estrada, o Porção. Se você não estiver muito atento vai acabar chegando à Praça do Avião e se você, ainda assim não conseguir enxergar aquele avião encravado no meio da praça, então um abraço, o melhor que faz é voltar pra casa.

Em meados dos anos 60 (século passado), já não morando na Ilha e estudando na UEG (atual UERJ) eu costumava freqüentar, na Tijuca (meio Vila Isabel), o Siri. Um barzinho pé sujo, muito maneiro, que servia uma deliciosa casquinha de siri. Um dia, já meio famoso, fez reformas, aumentou seu espaço. A casquinha já não ficou a mesma.

Ainda preso a tais lembranças, saí de Niterói para a Ilha do Governador. Ao chegar entendi o que pretendiam os colegas que marcaram 12 horas para o encontro. Estavam a fim de almoçarem juntos e pensaram que se outros que não viam há muito tempo aparecessem seria legal. Legal!

O tal do Siri do Galeão é um restaurante (com muitas filiais). Tem até um boteco anexo, mas não vi ninguém conhecido por lá. No restaurante, um salão enorme, pedi licença ao porteiro (que não sabia nada sobre turma do Mendes), fui até o final e voltei sem encontrar um rosto conhecido. Como eram mais de 14:30, deduzi que ninguém fica tanto tempo almoçando (em restaurante).

Na Gruta, um restaurante com cara de boteco (ou vice-versa), onde aconteceram muitos de nossos encontros, a coisa era marcada para as duas. Eu chegava três, três e meia, mas até 18:30 / 19 h sempre haviam remanescentes. Aí chegava a Margarida. Bem, mais do que eu, ela tarda, mas não falha!

Agora em agosto teremos o encontro dos ex (alunos do Mendes de Moraes), dos idos do século passado, meados de 50 a a 60. Tiranus Rex? Alguns ainda se consideram, mesmo sem garras ou presas (rs-rs-rs). A maioria é de herbívoros (carnívoros sem dentes só comem papinha e a batata é vegetal, ta bom?) e os pterodátilus nem voam mais, só caminham (em seus andadores). De repente acho que descobri a motivação da Júlia ao participar daquela ONG que distribui fraldas graciosamente. Parece-me que a produção de geriátricas tem aumentado.. (Hum... vou chegar junto com a Margarida, pra apanhar só dos remanescentes. Rs-rs-rs)

O Jaime estendeu o convite para os colegas dos meados de 60. A maioria de nós saiu no início dos Anos Dourados. Quem estiver a fim é só entrar em contato com seu blog. Como ele é o nosso historiador, ele deve estar pedindo fotos, boletins e outros documentos que lembrem a data. Servem mesmo se amarelados pelo tempo ou rasgados. História é história.

Olha o dia 16 aí gente! Agosto. A gosto!

MOACYR WALDECK é ex-aluno do Colegio Estadual Prefeito Mendes de Moraes (1957: 2º gin/1960:1ºcient)- mowaldeck@yahoo.com.br (veja mais)

Hospedagem