Astrologia e Astronomia (Parte 02 - final)

Será?

Acredito firmemente que, ainda neste belo Planeta Terra, estaremos todos de volta aos Zigurats, em perfeito casamento... senão, pelo menos, convivendo em boa harmonia. Também um pleno e fundamental respeito às ciências, eternas e maravilhosas, da astronomia e da astrologia!. Compreendo que aquilo que denomino de Cosmologia Espiritual ou A Metafísica simbolize, de forma mais bem estruturada ainda, essa fusão entre as apreensões objetivas e subjetivas dos céus estrelados!

A Astronomia é a mãe não somente de todas as ciências e todo o conhecimento do homem, mas, também, e fundamentalmente, da religiosidade e espiritualidade primordiais e estruturais da civilização.

Na verdade, acredito verdadeiramente que todo, todo nosso conhecimento partiu do céu, da relação céu e terra, da observação dessa inter-relação tão estreita, da compreensão de suas leis intrínsecas, de sua natureza, da revelação de seus segredos.

A Astronomia é, sem dúvida, a mãe de todos os conhecimentos e todas as ciências, é o começo da cultura de nossa civilização. A meu ver, todas as outras ciências adviram a partir dela, ciências físicas, metafísicas e espirituais.

Desde sempre o homem olhou o Sol como seu bem maior, sua vida e a manutenção da mesma. Após a descoberta do fogo, o homem pôde sair da caverna que o protegia da noite escura e começou a olhar a Lua bem como todas as outras luzes noturnas da abóbada celeste que o envolvia. Assim teve início a astronomia.

Certamente, acompanhando o olhar do homem em relação ao Sol, à Lua e às outras luzes noturnas, os primórdios da civilização também acolheram a reverência desse mesmo homem a esses objetos!

A reverência ao sol é fundamental, sua espera durante a noite, rezando, rezando, para que ele volte no dia seguinte e no próximo e no próximo e no próximo... para que ele nunca deixe de voltar...

Essa questão tão entranhada no homem de outrora deu início à ciência da astronomia e à sua religiosidade - o religare o homem, a terra, aos céus! (Dizem que os homens antigos pintavam nas paredes de suas cavernas cenas às quais eles manifestavam o desejo de o céu proporcionar realidades àquelas cenas. Isso é religiosidade primordial, fundamentalmente!)

A partir de então, todo nosso conhecimento foi construído – em ciência e em metaciência, em física e em metafísica.

Os mitos e histórias foram também acompanhando a ciência e a religiosidade envolvidas com a Astronomia. O inconsciente coletivo foi sendo fundamentado, pedra após pedra, formando uma infindável construção assim como o avanço do conhecimento: nunca nada é definitivo, sempre tudo é relativo. Sempre um novo conhecimento pode ser agregado ao conhecimento anterior ou deslocar o conhecimento anterior para um plano mais ultrapassado, porém nunca negado, sempre reconhecido como uma pedra a mais na construção da civilização do homem diante de seu planeta Terra, diante de sua família em seu Sistema Solar, diante de sua Galáxia, diante de sua Família de Galáxias, diante de seu Universo, diante do Multiverso ou do Pluriverso.... diante do Tao, do Caminho.

JANINE MILWARD trabalha há muitos e muitos anos como astróloga profissional, professora de astrologia e escritora. Fundamentalmente estruturada na Astrologia da Alma e do Auto-Conhecimento tem formação em psicanálise, mas dedicou-se bem mais à astrologia, fazendo uma bela fusão entre o conhecimento da psiquê, suas motivações, seus arquétipos e mitos * Mar de Espanha/MG * (32) 9963-0439 * janine@powermail.com.br [para acessar o indicador profissional clique sobre o nome da autora]

Hospedagem