Troca-troca

Entre as coisas que gosto de fazer está a contemplação.

Passo tempos e tempos perdido diante de alguma coisa que meus olhos encontram. Posso ficar admirando os contornos de uma árvore, como cresceram seus galhos, suas folhagens, suas eventuais flores. Quando estão floridas, então, me delicio com a sua profusão de cores.

Posso ficar um tempão aguardando que uma paineira solte uma paina e ficar acompanhando o movimento que ela faz até atingir o solo e, aí, fico esperando por outra e por outra... Esse exercício, aliás, me inspirou na criação de um cd de relaxamento onde paina e cores são seu fio condutor. Um amigo, Edson, ajudou-me na trilha sonora.

Talvez isso faça que meu tempo disponível para as tantas coisas que tenho por fazer seja tão curto. Talvez.

Fico abismado quando pessoas me dizem que não sabem o que fazer quando ficam ociosas. Com tanta coisa que há pelo mundo, até mesmo pelo mundo humano (de suas construções, seus afazeres). Ócio como, se há tanto o que contemplar?! Tanto para admirar, para se fundir com nossa alma...

Acho que fugi do assunto: trocar. É que eu estava num momento de contemplação quando surgiu a ideia e, aí, deixei-me levar pelo vento que soprava a paina (rs).

Comer pode ser um prazer. Não o prazer dos glutões que estão mais ligados na quantidade e absorvem quilos e quilos de comida sem apreciar seu sabor. Seu prazer, movido por sua ansiedade, é o de alguma lembrança passada e não a do momento em que vivem... e comem.

Comer pode ser um prazer quando não se está com fome, quando se admira o que se come, quando se aplicam as técnicas dos degustadores que buscam em cada milímetro de sua boca o sabor, os segredos daquilo que estão degustando. Ah quanto prazer que a vida nos traz e que é perdido na pressa de se chegar a lugar algum. Ou seria lugar nenhum?

Trocar informações sobre lugares onde se come e sobre comidas. Essa é a proposta de minha ideia.

Gosto de cozinhar e não sei por que mistérios a comida que faço sai sempre saborosa. Pelo menos para mim, rs, por mais estranhas que possam ser as combinações que uso. Há também quem aprecie. Quem ainda se lembra da noite de caldos que promovi?

Outra coisa que gosto de aliar ao cozinhar é a saúde. Essa coisa comentada, esperada, mas tão relaxada pelas pessoas. Confesso que, por vezes e até muitas, eu me junte ao bloco dos sem noção sobre saúde. Há muito que comentar, deixo para outra ocasião. Voltemos ao ponto.

A ideia passa, entre outras, pela troca de informações sobre lugares onde comer. Vou deixar os detalhes para uma próxima vez, pois o texto ficou grande demais. Vamos ver quem adere e agrega novas idéias. Vou ficar esperando enquanto preparo outro texto com detalhes.

MOACYR WALDECK é um CIDADÃO brasileiro.

Hospedagem