Campanha 1 = Lixo

Por que nossas cidades são tão cheias de lixo?

Moro numa rua que é varrida várias vezes por dia. Apesar disso, é comum encontrá-la com um aspecto de sujeira. Só não tropeço no lixo porque desvio.

É uma tradição de séculos, iniciada aqui no Brasil pelos portugueses que atiravam lixo pela janela de suas casas. Parece-me que os índios, que habitavam a terra quando chegaram os lusitanos, não o faziam. Como foram dizimados, prevaleceu o hábito europeu. Não é à toa que no velho continente tenham ocorrido pestes como a bubônica que dizimou grande parte de sua população.

Somos racionais? O que fazemos com nosso raciocínio?

Simples assim, essa lixarada é um dos fatores do aumento de roedores que são vetores de enfermidades que agridem humanos. O acúmulo de lixo entope bueiros que durante as chuvas impedem o esgotamento das águas. O resultado: alagamentos, transtornos de deslocamento pela cidade e, muitas vezes, doenças nos que se aventuram enfrentar ou não têm como fugir da enxurrada. Contribui também para criação de insetos que disseminam doenças em humanos.

Como racional, que não deseja ser atingido por nenhum desses transtornos, relaciono causas e efeitos.

Enquanto seguidores da cultura lusa implantada aqui há séculos atiram ao chão os restos ou detritos de seu consumo, considero que guardar um saco de pipoca ou qualquer outra coisa para jogar na primeira lixeira da rua ou mesmo na de casa é um transtorno menor. Já vi gente, ao lado de lixeiras, dar preferência ao chão para suas sujeiras.

Será que estou raciocinando mal? Ou será que há mais gente do que imagino com um distúrbio de comportamento que é gostar de doença e, por isso, age com seu lixo para obtê-la?

Agradeço antecipada e imensamente sua resposta a essas minhas duas questões do parágrafo anterior (http://www.vidaleve.com.br/contato.asp ). Ah, e, por favor, não siga os lusos de séculos atrás. Portugal hoje é outro, onde há uma preocupação grande na preservação do ambiente e da memória de suas belas obras e não da sujeira que seus antepassados andaram disseminando.

O lugar do lixo é no lixo! Se quiser, imprima a imagem e distribua.

Leia Mais (no Vida Leve)

MOACYR WALDECK é um CIDADÃO brasileiro.

Hospedagem