Estatuto do Idoso Reflexões

No tema 3ª idade temos como objetivos promover diálogos, encontros, discussões e informar ao público as questões contemporâneas pertinentes ao envelhecimento.

Nossa visão é de que a sociedade pode e deve ter um envelhecimento saudável e de excelência, podendo se situar melhor quando toma atitudes que possam melhorar a sua qualidade de vida nas diversas fases da vida.

É nossa incumbência atuar como facilitador ou intermediário de obras escritas e faladas nas diversas mídias existentes e disponíveis. Propomos-nos a divulgar, ordenar e implementar projetos de qualidade de vida relacionados ao envelhecimento.

Para reivindicarmos nossos direitos precisamos fazer antes a leitura do Estatuto do Idoso, aliás deve ser uma prioridade para conhecermos todos os direitos e deveres. Perante a constituição jamais poderemos alegar ignorância de qualquer artigo da Lei. Então vamos começar, e nos capítulos posteriores vamos discutir alguns itens para melhor entendimento.

Abaixo colocamos parte da inicial do Estatuto do Idoso para começarmos a refletir.

Estatuto do idoso

... ANEXO AO PARECER Nº 1.301, DE 2003.

... Redação final do Projeto de Lei da Câmara nº 57, de 2003 (nº 3.561, de 1997, na Casa de origem).

... O CONGRESSO NACIONAL decreta:

TÍTULO I

DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Art. 1º É instituído o Estatuto do Idoso, destinado a regular os direitos assegurados às pessoas com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos.

Art. 2º O idoso goza de todos os direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, sem prejuízo da proteção integral de que trata esta Lei, assegurando-se-lhe, por lei ou por outros meios, todas as oportunidades e facilidades, para preservação de sua saúde física e mental e seu aperfeiçoamento moral, intelectual, espiritual e social, em condições de liberdade e dignidade.

Art. 3º É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer,

ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária.

Parágrafo único. A garantia de prioridade compreende:

I – atendimento preferencial imediato e individualizado junto aos órgãos públicos e privados prestadores de serviços à população;

II – preferência na formulação e na execução de políticas sociais públicas específicas;

III – destinação privilegiada de recursos públicos nas áreas relacionadas com a proteção ao idoso;

IV – viabilização de formas alternativas de participação, ocupação e convívio do idoso com as demais gerações;

V – priorização do atendimento do idoso por sua própria família, em detrimento do atendimento asilar, exceto dos que não a possuam ou careçam de condições de manutenção da própria sobrevivência;

VI – capacitação e reciclagem dos recursos humanos nas áreas de geriatria e gerontologia e na prestação de serviços aos idosos;

VII – estabelecimento de mecanismos que favoreçam a divulgação de informações de caráter educativo sobre os aspectos biopsicossociais de envelhecimento;

VIII – garantia de acesso à rede de serviços de saúde e de assistência social locais.

Art. 4º Nenhum idoso será objeto de qualquer tipo de negligência, discriminação, violência, crueldade ou opressão, e todo atentado aos seus direitos, por ação ou omissão, será punido na forma da lei.

§ 1° É dever de todos prevenir a ameaça ou violação aos direitos do idoso.

§ 2° As obrigações previstas nesta Lei não excluem da prevenção outras decorrentes dos princípios por ela adotados.

Art. 5º A inobservância das normas de prevenção importará em responsabilidade à pessoa física ou jurídica nos termos da lei.

Art. 6º Todo cidadão tem o dever de comunicar à autoridade competente qualquer forma de violação a esta Lei que tenha testemunhado ou de que tenha conhecimento.

Art. 7º Os Conselhos Nacional, Estaduais, do Distrito Federal e Municipais do Idoso, previstos na Lei nº 8.842, de 4 de janeiro de 1994, zelarão pelo cumprimento dos direitos do idoso, definidos nesta Lei.

Leia Mais (no Vida Leve)

HÉLIDA LOPES é professora de Educação Física, pós-graduada em Estudo do Envelhecimento e em Geriatria e Gerontologia, Dirigente de Dança Sênior, Facilitadora de Danças Circulares Sagradas, pertence também à UnATI/UERJ. Rio de Janeiro/RJ * (21) 8292-8536 * dancashelida@yahoo.com.br

Estatuto parcialmente copiado do site: http://www.crde-unati.uerj.br/pdf/estatuto.pdf

Hospedagem