Psicoterapia Cognitivo-Comportamental (1/2)

A Terapia Cognitivo-Comportamental atua com base na inter-relação entre cognição, emoção e comportamento. De acordo com a visão da Psicologia Cognitivo-Comportamental diferentes eventos, geram diferentes formas de agir em diferentes pessoas, não em função do evento em si, mas pela interpretação (pensamento) que é feita do evento – gerando diferentes emoções e comportamentos. Em função disso, uma mudança em qualquer um desses componentes (pensamento, emoção ou comportamento) pode iniciar modificações nos demais.

O trabalho inicia-se logo na primeira sessão; através da queixa do paciente o terapeuta colhe dados importantes para o diagnóstico clínico. Começa também a compreender a maneira de ser dessa pessoa, sua forma de pensar/sentir/agir. Após esses primeiros aspectos o psicoterapeuta começa a levantar hipóteses sobre como o paciente desenvolveu o transtorno (fonte da queixa) que o motivou a buscar o tratamento.

Essas hipóteses irão guiar o processo, e em função disso, vão sendo reconstruídas a cada nova sessão, de acordo com o aparecimento de novos dados. Terapeuta e paciente colaborativamente modificam e refinam suas formulações confirmando algumas hipóteses e descartando outras.

É feita conjuntamente uma lista de problemas e metas do tratamento que auxilia a selecionar as intervenções mais adequadas a serem feitas e o momento adequado, além de facilitar a visualização da evolução do tratamento.

O paciente pouco a pouco vai familiarizando-se com o modelo cognitivo, permitindo que passe a ter maior autoconhecimento assim com a compreender-se melhor. Aprende a monitorar-se e a controlar seus pensamentos, emoções e comportamentos.

Os exercícios, experimentos e tarefas são outros pontos importante desse processo reeducativo e de autoconhecimento, trazendo maior segurança para o paciente, promovendo aprendizado e uma ponte sólida entre o setting terapêutico e o ambiente externo. É criada uma equação cognitiva específica do sujeito, a qual permite traçar um plano terapêutico, por usa vez quais serão os alvos das intervenções e por último quais serão as intervenções técnicas a serem feitas e em que momentos.

Leia Mais (no Vida Leve)

Thaís Petroff Garcia é Psicóloga (PUC-SP) e Psicoterapeuta Cognitivo-Comportamental. Mestranda pelo Instituto de Psiquiatria da FMUSP e Especializanda em Terapia Cognitiva pelo Instituto de Terapia Cognitiva, é membro da Associação Brasileira de Psicoterapia Cognitiva e da Federação Brasileira de Terapias Cognitivas. É formada em PNL pelo Instituto de Performance Humana Continuum, certificada pela American Board of NLP. É Master Coach pela Graduate School of Master Coaches, certificada pelo Behavioral Coaching Institute e reconhecida pelo International Coaching Council. Possui também formações em Executive Coaching e em Personal e Professional Coaching, ambas pela Sociedade Brasileira de Coaching, da qual faz parte do grupo de membros. São Paulo/SP * (11) 3473-8868 / 8093-7134 * thais.petroff@gmail.com * http://thaispetroff.wordpress.com/

Hospedagem