Ter Sede É Bom

Estamos em pleno verão e os refrigerantes têm seu consumo enormemente aumentado. As pessoas sentem sede e, quase como autômatos, lançam mão dos refrigerantes industrializados. Os rótulos coloridos, as garrafas atraentes e todo um esquema publicitário, condicionam a atenção, o gosto e a escolha dos consumidores desde a infância.

Há tempos atrás uma portaria do Ministério da Saúde exigiu que, aos refrigerantes com sabor de fruta, fossem acrescidos de um percentual de suco natural. Isso, entretanto, não impediu que os refrigerantes continuem a ser aromatizados e coloridos artificialmente, além de conterem conservantes e outras substâncias nocivas a saúde. Estes ingredientes químicos que tornam o produto mais atrativo aos menos avisados, especialmente às crianças, são comprovadamente prejudiciais ao organismo.

E o excesso de gaseificação? Já experimentaram algum desses refrigerantes aos quais se procurou reduzir a gaseificação ao mínimo? Desculpem, mas se tornam simplesmente intoleráveis! Daí, concluir-se que o gás e o gelo funcionam como disfarce ao sabor que possuem.

Isso por acaso ocorre com os sucos naturais ou com os aromáticos chás da nossa flora? O chá de mate, por exemplo, pode ser tomado frio, quente ou gelado, com açúcar ou sem, com mel ou limão e será sempre agradável ao paladar. As deliciosas uvas, o abacaxi, pêssegos, laranjas, limões e tantas outras frutas com que a estação nos brinda, dão excelentes bebidas com as quais é um prazer matar a sede, além de serem fonte de energia e saúde.

Às pessoas que pretendem emagrecer ou, ao menos, não engordar, lembramos que refrigerantes, além de engordar, produzem celulite. O chá de mate, excelente diurético e purificador sangüíneo, os sucos frescos e o leite desnatado, contribuem para a manutenção e até para a redução do peso corporal. Importante ainda será observar que os líquidos sejam preferencialmente tomados entre as refeições e não junto a elas. Os líquidos ingeridos imediatamente antes ou junto às refeições, diluem o suco gástrico, o que torna a digestão lenta e difícil.

Ingerir bastante líquido no verão, especialmente água, é uma necessidade para que o corpo se mantenha convenientemente hidratado. Que a sede, portanto, seja aproveitada para dar ao organismo uma chance de melhorar a condições físicas ao invés de comprometê-las com produtos industrializados, cujos objetivos obviamente não são especialmente preservar a saúde.

Leia Mais (no Vida Leve)

DAGMAR KREBS tem especialização em Yoga Clássico pelo Yoga Instituto de Bombaim (Índia), é membro fundador da Asociação Brasileira de Professores de Yoga e membro do Sindicato de Profissionais de Yoga do Estado do Rio de Janeiro - Teresópolis/RJ - (21) 2743-0625 / (21) 9924-1792 - dagkrebs@terra.com.br *** Apesar do verão ter se encerrado no mês passado, o que aqui vai dito vale por todo o ano e para os próximos verões - equipe vidaleve ***

Hospedagem