Masculino/Feminino - Características, comportamentos

O que sabemos a respeito é identificação dos sexos masculino e feminino ou estereótipo? Alguns desses conhecimentos serão preconceitos? A testosterona, o estrogênio e a progesterona são os responsáveis pelos comportamentos de homens e mulheres ou será a cultura? Ambos?

Cuspir, coçar, tampa levantada, tampa arriada (molhada), cochichar, passear de mãos dadas, temer as baratas, cobras, lagartos e tantas outras coisas que temos contato no dia a dia são características masculinas? Femininas? Mesmo?

Volta e meia se fala em guerra entre sexos, homens são assim, mulheres são assado. Agressivo(as), poderosos(as), (in)sensíveis, possessivos(as) Como você jogaria (joga!) com esses qualificativos? O que eles nos trazem de melhor (ou pior) para nossas vidas? Se há guerra, há paz? Uma trégua é possível? E convivência (pacífica!)?

Viver melhor é a intenção de todos nós. Pelo menos no discurso. Como o será nos atos? Até onde nosso comportamento afeta o comportamento do outro? Ou será que só a ação alheia é que nos afeta, nos incomoda, nos atrapalha? Como já o disse Sartre, "o inferno são os outros ..."

Para algumas pessoas a paz só se alcança, após o final da guerra, com a total devastação ou eliminação do inimigo. Como seria isso levado a sua extrema conseqüência entre homens e mulheres? Os homens matando todas as mulheres? As mulheres matando todos os homens? Quanto tempo mais sobreviveria a humanidade? Não importa, desde que eu (eu igual a alguém que pense na destruição como solução) sobreviva? É curioso como esse pensamento é extremamente comum. Talvez ele já tenha passado inúmeras vezes por você. Afinal, como diria Sartre, "o inferno são os outros ..."

Sim, você não pensou em destruir o sexo oposto (nem de brincadeirinha ou num acesso de irritação?), mas e os mendigos, os bandidos, os policiais... os políticos? Como diria...

Uma opção à destruição é a dominação completa. Só que dá mais trabalho, mas pode render melhores resultados... desde que se consiga conter as revoltas!

Uma segunda opção à devastação é a conversação, a busca do diálogo, do entendimento dos motivos e das diferenças, abrir mão de algumas coisas e, como conseqüência, obter outras. Prefiro mais essa opção que, diga-se de passagem, é muito mais trabalhosa e demorada, cheia de ganhos e perdas, idas e vindas. O resultado final que, aliás, não é o fim, é muito mais agradável, porque deixamos de ter inimigos para termos parceiros. Eu prefiro. E você?

Foi para os que têm a mesma preferência que eu é que elaborei um trabalho de busca de soluções, entendimento de motivos e diferenças. Como outros ganhos, importantes, a minimização do estresse, o autoconhecimento e crescimento pessoal, um roteiro para a paz e a tranqüilidade. A primeira providência, é claro, foi buscar um parceiro do sexo oposto para que, dividindo o trabalho, nos seja possível a apresentação de duas faces, que se juntam numa mesma moeda: a de ser humano.

Leia Mais (no Vida Leve)

SANDRA MARIA DE ARAUJO – Astróloga, Terapeuta Floral, Reikiana (3º grau). Rio de Janeiro/RJ. Tel.: (21) 3353-4393 / 9362-6714- samaaraujo@yahoo.com.br (veja mais)

Hospedagem